IBGM na rede
NOTÍCIAS
Home - IBGM Informa

Covid-19: cenários pós-pandemia

Publicado em 13/04/2020

IBGM traça alguns cenários para o planejamento da retomada das atividades no setor

Apesar de estarmos no meio da pandemia do Covid-19, chegou a hora de refletirmos sobre a retomada de nossas atividades, com muita responsabilidade e respeito ao próximo. O Ministério da Saúde deliberou por dar mais autonomia aos estados e municípios na condução do distanciamento social, o governo do estado de São Paulo sinaliza que a quarentena poderá ser amenizada a partir do dia 22 de abril e a curva de contaminação do coronavírus nos permite algum grau de otimismo que o sistema de saúde não vai entrar em colapso.
Na mensagem ao setor dessa semana, o Instituto se arrisca a traçar alguns cenários para os negócios no setor ao longo dos próximos meses. E, como não poderia deixar de ser, o primeiro deles é sobre a 71ª FENINJER, que é a principal Feira do setor na América do Sul, e está programada para 03 a 06 de agosto, marcando a retomada da cadeia produtiva joalheira.

71ª FENINJER
De acordo com o calendário elaborado pelo Ministério da Saúde, estamos entrando na 16ª Semana Epidemiológica (11 a 17 de abril de 2020), início da curva de contaminação, conforme gráfico abaixo:

A 71ª FENINJER se dará na 33ª Semana Epidemiológica, período que, de acordo com as projeções do Ministério da Saúde, marca a entrada na fase de controle da epidemia e na curva descendente da contaminação. É importante ressaltar que a Feira não gera grande aglomeração, sendo que nos períodos do dia de maior concentração temos, em média, 900 pessoas, entre expositores/colaboradores e visitantes, em um pavilhão de quase 5.000 m². Nesse sentido, o IBGM está otimista que poderá realizar o evento, com relativa tranquilidade, respeitando os protocolos de segurança, como distribuição de máscaras para todos os participantes, fornecimento de álcool em gel em diversos pontos estratégicos, publicação de cartilha de conduta durante o evento, etc. Não obstante, o Instituto permanece em contato com o Sheraton para negociar uma possível prorrogação da data para final de agosto, setembro ou início de outubro.

Em relação à sua programação de Palestras Magnas, os temas desta edição serão focados nas perspectivas e tendências do mercado pós Covid-19, considerando o relacionamento com o cliente, o avanço da economia digital, o perfil do design, a readequação do mix de produto, a reestruturação da arquitetura e visual merchandising das lojas físicas, entre outros que demandarão atenção dos varejistas.
É preciso ter mão firme no leme, olhar para frente, ter foco e planejar o futuro próximo, pois é fato que a roda do consumo vai voltar a girar e as empresas precisam já estar preparadas e adequadas quando isso acontecer.
Antes de passar para o próximo tema, cabe aqui, mais uma vez, um agradecimento ao empresariado, em especial aos expositores da FENINJER que firmaram e/ou repactuaram seus contratos com a Feira, viabilizando, assim, esse evento que é referência para o setor há mais de 30 anos.

Avanço da Economia Digital
Aquilo que já era uma realidade para alguns se acelerou em grandes proporções e se consolidará (delivery de produtos, e-commerce, home office, EAD, etc). É preciso ajustar os negócios à nova realidade, principalmente o setor joalheiro, que é um pouco refratário ao universo digital.

Revalorização do Nacional
Com o coronavírus descobrimos que somos totalmente dependentes da China e da Índia em produtos e insumos relacionados a medicamentos e EPIs. O choque da pandemia deverá despertar um novo olhar para o que é nosso, para a nossa segurança e para o nosso entorno. Desde a mercearia da esquina até o design genuinamente nacional poderão e deverão ser revalorizados. Essa tendência tem uma especial importância para o setor joalheiro.

Novo Olhar para o Papel do Estado
O destino pregou uma peça no ministro Paulo Guedes. Expoente da Escola de Chicago, o ministro veio para revolucionar a economia brasileira na direção do liberalismo e da revisão do papel do estado. Vai ter que pilotar a maior intervenção estatal na história da economia brasileira. Nada mudou no que se refere ao diagnóstico de que temos um estado inoperante e predador, um verdadeiro leviatã, obeso e anêmico. A mudança se deu nos atributos básicos da ação estatal que ficaram evidentes: defesa, relações exteriores, educação básica, garantia do saneamento básico e combate à pobreza.

Meio Ambiente
Quanto custa o ar que respiramos? Não sabemos, afinal, ele e a poluição atmosférica não entram no cálculo do PIB. A partir de agora, vamos olhar de um modo diferente para esse tema: já está dando para tomar banho de mar na cidade de Veneza.

Crescimento Acelerado na Saída

Essa mensagem é ilustrada com uma foto emblemática e mundialmente conhecida. No dia que a Segunda Guerra Mundial terminou na Ásia (rendição do Japão) uma euforia incontrolável tomou conta da Times Square, em Nova Iorque. A foto do Beijo ilustra bem esse entusiasmo e simboliza uma tendência recorrente no pós-crise: a retomada que se dá de forma mais acelerada. Um otimismo incontido estimula o consumo e a retomada da economia.
Distanciamento Social
Um olhar isento sobre o gráfico que acompanha esse documento e sobre todas as estatísticas sobre a disseminação do Covid-19 no Brasil demonstram que o distanciamento social tem dado resultados. Existe um falso dilema entre o distanciamento e a manutenção da saúde econômica do país. Sem o distanciamento estaríamos em um colapso econômico, político e social.

Por fim, o IBGM segue atento às mudanças, principalmente às comportamentais, com o intuito de antecipar outros cenários, e trabalhando nos demais temas de defesa dos interesses do setor.

Para mais informações, entre em contato pelo e-mail ecio@ibgm.com.br.
#VAI PASSAR